segunda-feira, 7 de setembro de 2009

turn on the heart lights!

Saí um pouco de mim nas últimas semanas. Ou sei lá, entrei demais em mim e na ânsia de me encontrar, me perdi mais ainda. Não vou ficar dando desculpas pra vocês, porque francamente, vocês não merecem. E nem queiram, talvez.
Perdão, estou insegura. Perdão o caralho. Não vou me sujeitar a tanto. Já percorri caminhos muitos piores e abismos bem mais baixos que esse. E, sim, já pedi perdão. E ouvi em troca um dar de ombros de desprezo e ironia que não vem ao caso recordar. (Pronto, já lembrei.) Fazer o que? Mandar emails bêbados dos quais você vai ler cinquenta vezes na caixa de saída e se arrepender amargamente de ter mandado? Voltar pro útero da sua mãe, do qual você nunca deveria ter saído? Se auto mutilar? Cometer todos os sete pecados capitais em um só dia, ajoelhar, se confessar, se punir, se render e rezar pro deus que você sabe que não existe te dar coragem amanhã?
Ou, simplesmente, ler Burroughs?
Fico com o simplesmente.
Não se desesperem. Nossas infâncias não vão mais voltar. Não vão mais voltar. Ouviram? Neil Diamond não vai voltar a tocar no toca fita do Passat marrom do seu pai enquanto você fecha os olhos e sente o vento que entra do teto solar no seu rosto de criança. Esse rosto de criança está cheio de pé de galinha e muita droga já entrou por esse teto solar. Taí, de novo, você arranjando desculpa pra tudo. Tomando seu leite integral e falando na terceira pessoa.


...

Um comentário:

ei disse...

falando de pé de galinha:

Napoleon Dynamite: Do the chickens have large talons?
Farmer: Do they have what?
Napoleon Dynamite: Large talons.
Farmer: I don't understand a word you just said.

beijo no seu teto solar.