quarta-feira, 3 de junho de 2009

Vivi linhagem nobre.

.



Vivi faz aniversário hoje. E sendo uma das pessoas que eu mais amo no mundo ela vai ganhar algumas humildes palavras minhas porque se tem uma coisa que a Vivi gosta é de ler um texto bonito. Vira e mexe a Vivi ta por aí com uma folha de sulfite em baixo do braço fazendo a gente ler um poema de Shakespeare ou uma crônica de auto ajuda. Porque assim é a Vivi, sempre há tempo pra se sentir o cheiro das rosas, por mais ocupado que você esteja. Esses dias, ou melhor, noite dessas, Vivi pediu pra eu escrever a biografia dela. Ela conta, eu escrevo, o livro vira um best seller e a gente fica rica! Assim foi a proposta. Bem tentadora pra uma escritora de blog que nunca sequer publicou um único artigo nem no jornal de classificados do bairro. Contando o cenário ultra super kitch e a cultura de vanguarda dos anos 60 até 2000 a qual nossa protagonista se inseriu, mergulhou e se jogou como ninguém e a coleção de personagens maravilhosos e loucos que a cercam essa estória realmente poderia vender muitos livros, virar mini série na HBO e um longa em Hollywood. Mas enquanto essa virada fenomenal nas nossas vidas não acontece, a filha de Jean Claude e neta de Henriette, mãe e pai de Ornella e Victória, irmã de Lourdes, Lica e mais uns cinco (se não me falhe a memória), segue com sua cabeleira longa cor de vinho tinto, suas tatuagens clássicas de tigresa, seus seios fartos, sua voz grossa de reginaldo rossi, seu sorriso de criança e aquele apertão no pescoço que ela dá quando te encontra. Quando eu conheci a Vivi há mais de uma década atrás na Galeria Ouro Fino ela tinha a loja do Hells e eu eu tinha o Mundorama. Uma escada rolante nos separava e uma viagem pra Parati ainda no século passado nos uniu pra sempre. Ela chorava por causa das dívidas, eu por causa de amores não correspondidos, ela tinha o Fluki, a gente comprou a Valentina, a gente morou juntas, depois se separou, eu deixei o salão, ela deixou a loja, as meninas cresceram....já a gente, não muito. Hedonista que é, Vivi sonha com um mundo onde dinheiro não existe, as melhores festas acabam só em outra festa de preferência na casa de algum amigo dela, ninguem precisa acordar cedo no dia seguinte, todo mundo é amigo, o beck ta sempre bolado, a próxima praia é logo ali e a conta de telefone e o aluguel já foram pagas para o próximo ano inteiro. Senhora do destino de rave em Alto Paraíso ou promoter absoluta do rock em São Paulo, Vivi é mesmo uma anfitriã excepcional das pessoas dentro do seu coração e da sua casa e divide um prato de comida de um para cinco se for preciso sem errar um grão. Faz um empadão como ninguém, não leva desaforo pra casa, não tem medo de nada, dança jazz melhor que a professora e dirigia um karmanguia até o vender pra pagar o parto da Ornella no Einstein. Esta e mais mil outras estórias que eu peço pra Vivi me contar tantas vezes vão estar no nosso livro, não esqueçam de procurá-lo nas melhores livrarias do ramo (haha). Porque tanto amor e loucura juntos em uma pessoa só não vai caber aqui nesse blog, não vai caber nesse post. E por mais separadas que estamos as vezes, por mais tortas que estejam nossas vidas, você sempre vai ser a mulher que vivia a vida que eu sonhava antes mesmo de começar a viver direito. Você é minha ídala desde que eu entrei na sua casa de bergeres e porta retratos da Marylin e do Marlon Brando. Você é minha amiga que nunca mente. Você é minha amiga que dorme aqui, acorda e muda todos os móveis de lugar. E o pior que eu sempre gosto.

...



6 comentários:

elton disse...

tudooooo!!!!!!!!!!!!!

ornella disse...

Minha mãe! Maior orgulho! Maior amor!

dicró arraso no texto!E vamo com esse livro!!!

Lurdinha disse...

Flà....

Vc me fez chorar!!!!

Essa é minha grande e mais pura irmã

Amo td vcs!!!

bjs

Lurdinha

Ânsiade disse...

putamerda!
chorei!

aguiarcampos disse...

que lindo!!!
só não falou que vcs estão namorando né?
kkkk

Jorge Ramiro disse...

No meu aniversário meu pai me deu
um cachorro, mas acontece que não se comportava, se comportou mal quando estava com outras pessoas. Então eu percebi que é muito importante o adestramento de cães. Agora, ele se comporta bem.